terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Do Amor Descorrespondido

O pranto do amor
Aperta o coração
Faz-nos sentir sem chão
Metamorfose do horror?

Não, o sofrimento do apaixonado
Não é como a dor do pé quebrado
Importuna, esta só quer machucar
Fazendo com que só desejemos dela se livrar

A lástima do sentimento
É a dor da felicidade
Carregada das lembranças de contentamento
E dos sonhos da posteridade

Alma tocada
No mais fundo do ego
Acolhe preocupada
O amor em nó cego

Levando-o junto na solidão
Transformando o sonho em realidade
De um casal feliz na escuridão
Da apaixonada vontade

De viver o amor interrompido,
A felicidade certeira e distante
Do céu colorido
E do olhar brilhante

O amor descorrespondido
Oferece alegria em meio a tepidez
A saudade do não acontecido
O estado de graça na realidade da sordidez

Enquanto o coração chora
A alma se enamora,
Mesmo na solidão
Se vive uma paixão



Vitrola: Você não me ensinou a te esquecer

4 comentários:

Beca disse...

"...pois é, até onde o destino não previu
sem mais, atrás vou até onde eu conseguir

deixa o amanhã e a gente sorri
que o coração já quer descansar..."

sem mais,

Beca 8)

Cláu disse...

aaah, não fui o primeiro comentário... hahahahh
grana, bufunfa, dindim!
bjo bjo

Jeff disse...

Não sei escrever coisas inteligentes, muito menos escolher palavras bonitas. Mas o que tenho pra dizer não requer muitos rodeios! Muito legal o blog, parabéns! Essa tua cabeça pensante anda mais esperta do que nunca nessas férias.
Beijos

Gabi disse...

pensei em dize a mesma coisa q o jeff, mas infelizmente agora nao dah mais Oo
adorei a sua ideia, e prometo sempre dar um sinal d vida por aqui! =) heheh

nhaaa
jah to com saudades suas oO
vem vc agr (:

BjO;*