sábado, 8 de março de 2008

Do Ser Mulher

Embalada pelo chacoalhar do ônibus, a languidez corporal aflora no fechar dos olhos dela. Desprovida de beleza, gotas d’água pipocam em sua pele, enquanto do cabelo despenteado fios rebeldes se percebem. Compacto da feiúra, parece que virou as costas para vaidade. Porém, quando parece que será aprisionada pelo sono profundo, entregando os pontos para o corpo disformemente fatigado, eis que o brilho do esmalte colorido se abre em sua mão. Como um botão de flor no pântano, lembra aos olhos do mundo que, na essência de seu ser, a graciosidade sempre tem vez. Situação deplorável de estranho encanto: quando não sabe se cai sono, ou se dá cor às suas unhas; mesmo que de marca vagabunda. Mulher.



Vitrola: Cotidiano

2 comentários:

cláu disse...

Frohe Internationaler Frauentag!

Leonardo disse...

" Porém, quando parece que será aprisionada pelo sono profundo, entregando os pontos para o corpo disformemente fatigado, eis que o brilho do esmalte colorido se abre em sua mão. "

Seria essa mulher uma Sailor Moon???


Tá dos melhores esse Bruneca!!!